Para se achar no final de semana – Go Berlin

go berlin

A revista  semanal Tip, que publica a programação cultural e matérias sobre comportamento e o dia a dia da cidade, lançou o projeto Go Berlin, que serve como um guia bem prático com atrações e serviços – tudo por meio de uma plataforma baseada no Google Maps.  Mais do que bares, restaurantes e cinemas, há informações úteis sobre escolas, órgãos públicos, embaixadas, hospitais e farmácias.

É possível adicionar interesses diferentes à busca (Programação, Gastronomia, Tempo Livre e Cidade) e filtrá-los. Na parte gastronômica, é possível ainda filtrar o tipo de cozinha de cada restaurante (italiana, asiática, americana, alemã…), ver a faixa de preço e algumas referências de cada lugar. Legal para quem busca algo bem específico e, de quebra, feito por quem é daqui. A única desvantagem é que ainda não há versão em inglês – mais um motivo para se puxar nas aulas de alemão… Tomara que eles disponibilizem logo um app.

Já adicionamos o Go Berlin nos nossos links, logo ali abaixo, no canto direito. Feliz sexta-feira!

 

Só até domingo (24.8) – Exposição David Bowie

Pra quem está em Berlim até o próximo domingo, vale a pena conferir a exposição do David Bowie no Martin-Gropius-Bau.

A exposição conta com um acervo diverso do cantor – incluindo esboços originais de suas canções, algumas das roupas emblemáticas usadas na época do Ziggy Stardust e discos, mas o ponto alto  é a sua característica multimídia. Cada visitante ganha um áudio guide, que funciona em sintonia com os projetores e telões. Além vídeos de depoimentos e reportagens, há os clássicos clipes  e muitas performances ao vivo. Muito bacana mesmo. Em uma das salas, com projetores do teto até o chão, tem-se a impressão de se estar num concerto. Fiquei a maior parte do tempo ali.

Achei isso legal porque a visita é bem “independente”. Cada um curte uma atracão e sua determinada música pelo tempo que quiser e no volume que bem entender sem incomodar o próximo.

Pros que estão de férias, recomendo ir agora durante a semana, e de preferencia, cedo. Ontem (domingo à noite), tinha muita gente e, em alguns momentos, havia fila para ver determinadas exibições. Logo chegou a hora de fechar e os funcionários simplesmente nos enxotaram de lá. Uma pena, pois não deu para ver tudo direito.

Os ingressos, que custam 15, 20 €, estão esgotados na loja online, mas é possível conseguir na bilheteria. A visita vale não apenas para quem ama o David Bowie <3, mas pros que curtem a história do rock, da moda, do cinema e da arte contemporânea – porque em todas essas vertentes , há um tanto de inspiração vinda dele.

O quê: Exposição David Bowie
Onde: Martin-Gropius- Bau (Niederkirchnerstraße 7, 10963 Berlin)
Quando: Diariamente, das 10h às 20h até o dia 24.8
Quanto: 15,20 €

 

Hoje na História – 53 anos da construção do Muro de Berlim

Há 53 anos, em Berlim, erguia-se um muro que transformou a história da Alemanha e tornou-se o símbolo da Guerra Fria. Mais do que uma separação física entre um mundo dividido entre o socialismo e o capitalismo, o muro, de um dia para o outro, separou famílias, destruiu histórias e provocou a morte de centenas de pessoas que tentaram escapar do regime autoritário da Alemanha Oriental.

Hoje, o que restou do muro tornou-se atração turística em Berlim. A queda, que ocorreu em 9 de Novembro de 1989, é celebrada como uma nova era de liberdade e união, não só na Alemanha, como no mundo todo. Berlim prepara-se para festejar no final do ano os 25 anos da queda do muro, que tornou-se o marco do final da Guerra Fria.

Confere umas fotos dessa história, do que foi e do restou do Muro de Berlim.

 

A gente te leva para conhecer os principais pontos onde o muro ainda está de pé. Entre em contato!

Onde aprender alemão em Berlim

Dicas de escolas de alemão para orçamentos e objetivos variados
Dicas de escolas de alemão para orçamentos e objetivos variados

Temos recebido alguns emails com pedidos de recomendação de escolas de alemão em Berlim. É complicado pois às vezes a escola pode ser boa e séria, mas o professor nem tanto e vice-versa.

Muita gente vem pra Berlim em busca um curso de alemão como álibi para morar aqui e só fazer festa. Não é a toa que escolas de alemão surgem e desaparecem na mesma proporção. Eu parto do pressuposto que quem opta por vir para cá – como eu vim há um tempo – quer realmente aprender o idioma. E pra sair falando com o Mitbewohner, com a nette Verkauferin da padaria ou com o tiozinho do Döner Kebap, é preciso ter base e base só se adquire na sala de aula.

Vou dar algumas recomendações de escolas que eu conheço (onde já estudei ou que já recebi boas recomendações). Mas, mais uma vez, reforço que o aprendizado depende muito do professor, do grupo e da motivação pessoal do aluno. De qualquer forma, depois de um tempo, é gratificante conseguir ler um livro, acompanhar as notícias no Tagesschau ou simplesmente ouvir de alguém “Sie sprechen aber super!” Por isso, aproveite o tempo na melhor cidade da Alemanha para aprender alemão. Onde mais haverá melhor oportunidade?

 

$$$$

Goethe Institut

Bild_GoetheInstitutLogo

O Instituto Goethe dispensa apresentações. Foi a minha base e o meu impulso para vir pra cá de vez. Comecei a aprender alemão na filial de Porto Alegre, no A.1.1, e depois de três anos, em função do meu esforço, ganhei uma bolsa de estudos em Munique. O Goethe Institut também está em Berlim, numa zona bem legal, do lado da estação Weinmeisterstr. (U8). Mas o prestigio e a qualidade custam caro. Um mês de curso intensivo custa no mínimo 1070 Euros, dependendo da época do ano.

 

$$$

Berliner ID

berlinerID_deutschkurse

Essa escola recebe estudantes do programa Ciências sem Fronteiras, por isso o número de colegas brasileiros é grande, o que não é recomendado para quem quer fazer uma verdadeira imersão no alemão. Há controle de presença e uma prova é aplicada no final de cada nível. Parece puxado, mas isso torna as aulas muito mais eficazes, pois não tem coisa mais chata ter que estudar ao lado daquele pessoal que não tá nem aí, nem fala nada, mas faz o curso só de fachada. Quem opta pela Berliner ID é porque quer aprender alemão de verdade. O intensivo é bem mais em conta do que o Goethe, custa a partir de 420 Euros por mês. Eles ainda oferecem aulas de reforço no turno inverso e, nas dependências da escola, há um refeitório dividido com a TU (Technische Universität), que é bem legal para quem quer se integrar a vida de estudante da cidade.

 

$$

Hartnackschule

Hartnackschule-Berlin
A Hartnackschule é uma das escolas de alemão mais populares de Berlim. O preço dos cursos é bem em conta, a partir de 234 Euros por mês. Mas ao começar um curso, você dificilmente terminará com o mesmo grupo, pois toda a segunda-feira novos alunos ingressam nas turmas. A escola recebe muitos estudantes. Ser atendido na recepção pode levar horas. Eu não fiz cursos básicos lá (A1-C2), fiz o Brückenkurs (que é um curso de gramática entre os níveis A2 e B1) e o preparatório para o TestDaf. Tive sorte porque nesses cursos minhas professoras foram simplesmente excelentes. Umas era a Frau Petra (que eu infelizmente não lembro o sobrenome) e a outra Frau Rieck (não garanto se escrevi certo). Se bobear, foram as melhores professoras que eu tive aqui na Alemanha. Mas também foi uma questão de sorte. Lembro que no curso do TestDaf o grupo era tão grande que tiveram que dividi-lo e chamar outro professor. Eu fiquei no grupo da Frau Rieck. Os colegas da outra turma disseram que o professor era muito fraco.

$

Volkshochschule

vhslogo_neu
Existem várias Volkshochschulen espalhadas pela cidade. Os cursos são mais em conta, mas não valem para quem precisa de visto. Já fiz na filial da Linienstr. (em Mitte) e na da Pestalozzistraße, em Wilmersdorf. Os grupos geralmente são grandes e a qualidade dos professores varia. Para quem está aqui e quer gastar pouco, é sem dúvida a melhor opção.