Arquivo da categoria: Compras

10 chocolates de Berlim (bons e baratos)

Uma das formas de conhecer uma cidade e os hábitos de quem lá mora é visitar um supermercado. Além de economizar é possível descobrir uma série de delícias que nem sempre se encontram na seção de importados nos supermercados do Brasil.

Numa ida rotineira ao Real, uma rede de hipermercados daqui, acabei listando de improviso alguns dos chocolates mais vendidos por aqui (e mais comprados por mim, hehehe). A lista pode servir para quem quer provar algo diferente ou quer levar uma lembrança gostosa da viagem pra casa.

Originais da Alemanha

1. Ritter Sport

Ritter Schokowurfel
Ritter Schokowurfel

Marca made in Germany. As barras da Ritter Sport são caractetísticas pelo seu formato quadrado, dividido em 16 quadradinhos. Existem 32 variações da barra, além das edições especiais lançadas em momentos específicos do ano. Com o slogan “Praktisch, Quadratisch, Gut” (prático, quadrado e bom), os chocolates da Ritter têm um preço acessível (cerca de 0,90 centavos a barra de 100g) e definem bem o estilo alemão: sem muitas firulas, mas cumprindo seu dever com qualidade. Meus preferidos são o Edel-Vollmilch (chocolate ao leite nobre) e Knusperflakes (chocolate com flocos). Também gosto bastante dessa caixinha com as miniaturas, com o formato quadrado típico da marca. Dá pra provar de tudo um pouco e evitar um ataque descontrolado de comer uma barra inteira. A caixa Ritter Sport Schokowurfel custa aprox. 2,60 Euros. A Ritter possui uma loja conceito em Berlim, que atrais principalmente turistas e fãs do chocolate.

2. Zetti – Knusper Flocken

Item da cesta básica dos "Ostálgicos"
Item da cesta básica dos “Ostálgicos”

Chocolate também tem a ver com história. Os “flocos crocantes” da marca Zetti são conhecidos como um dos doces clássicos da Alemanha Oriental e possuem vários fãs saudosos dos tempos da DDR. Os flocos são torradinhas (de pão) misturados ao chocolate ao leite e possuem formato similar aos beijinhos da Hershey’s. Um saquinho com 200g do doce custa 2,80 Euros.

 

3. Leibniz Schokokeks

Biscoito + chocolate = amor
Biscoito + chocolate = amor

A marca Leibniz é original de Hannover e existe desde 1891. Pra quem (como eu) ama a mistura de biscoito com chocolate de verdade (não aquelas massas de gordura hidrogenada dos biscoitos recheados), os Schokokeks são um perigo. Costumo ter uma caixa na última gaveta da mesa do trabalho, para aquelas horas que só um doce pode animar o astral. Pelo que eu sei, marcas similares são vendidas nos supermercados brasileiros, mas o preço é bem mais salgado. Aqui, uma caixinha com 125g (versão ao leite ou meio-amargo) sai por cerca de 1,30 Euros.

Chocolate suíço sueco

Drágeas com gosto de infância
Drágeas com gosto de infância

4. Marabou
A fama dos chocolates suíços não se discute, mas esse representante sueco não deixa a desejar. Os chocolates da Marabou são saborosos e distribuidos em barras generosas de 250g. O Marabou é vendido no Ikea, obviamente, mas encontra-se na Rossmann e às vezes em grandes supermercados. Eu gosto muito dessas drágeas de chocolate ao leite e da versão crocante com Daim. O pacotinho custa cerca de 1,30 Euros.

Amados pelo mundo com versões locais interessantes

5. Ferrero Küsschen (Beijinho do Ferreiro)

20 beijinhos do Ferrero <3
20 beijinhos do Ferrero <3

Outra versão do adorado Ferrero Rocher, o beijinho tem uma avelã inteira com um creme de chocolate mais consistente que o Ferrero original. Coberto com chocolate ao leite ou chocolate branco, o bombom geralmente vem numa caixinha com 20 unidades que custa cerca de 2,70 Euros.

 

 

6. Lindt Hello, my name is peanut butter

Por mais chocolates com manteiga de amendoim!
Por mais chocolates com manteiga de amendoim!

Confesso que não são todos os chocolates da Lindt que me fascinam, mas essas bombons com creme de amendoim são uma loucura. A marca sempre oferece preços promocionais em seus lançamentos, pena que não foi o caso desse pacotinho, mas eu estou de olho. 120g dessa delícia custa cerca de 3,50 Euros.

 

 

 

 

7. Lindt Milchshakepralines

Bombons de mikshake
Bombons de milkshake

A Lindt também vende produtos sazonais, como os bombons de milkshake que fazem os dias tristes de inverno ficarem mais felizes. Nas versões morango, chocolate e maracujá, os bombonzinhos são pequenas doses de grande prazer. Por isso, quem vem na época do frio deve ficar de olho no acervo das lojas da marca ou das grandes lojas de departamento.
A caixa custa 5,90 Euros.

8. Kinder Schokobons

Kinder Ovo to go
Kinder Ovo to go

Mais um integrante da turma da Ferrero, os Schokobons são pequenos bombons ou ovinhos de chocolate Kinder no tamanho de uma bala.  Ao invés de serem ocos como o Kinder original, há um recheio leve de leite com avelã.

 

 

 

9. Milka Choco Moo

Choco Mooooo
Choco Mooooo

Existe uma variedade enorme de produtos Milka na Alemanha. Lembro que algumas versões eram vendidas no Brasil, mas depois saíram do mercado. Uma pena. A Milka também é uma marca bem barata e oferece versões em barra (100g e 300g), caixas de pralines e diversos biscoitos. Esse do Choco Moo apareceu esses tempos nas propagandas do Youtube e eu fiquei louca para experimentar. Um lado é biscoito de leite e o outro é puro chocolate – com forma de vaquinha. O pacote custa 1,80 Euros.

10. Nestlé Choclait Chips

Embalagem legal, chocolate gostoso
Embalagem legal, chocolate gostoso

E de-lhe flocos crocantes cobertos com chocolate. O formato do chocolate lembra os salgadinhos da Cheetos, vai ver por isso o nome Chips. A caixinha dos Choclait Chips é cheia de dobraduras e feita num formato hexagonal. Dá pra fechar de novo, evitando o perigo de comer a caixa toda. Preço 2,19 Euros.

As berlinenses também amam: Forever 21

Ouvir falar sobre a chegada da Forever 21 no Brasil, sobre a alegria das as gurias e até da fila que se formou antes da loja abrir as portas. Exagero? Resolvi pagar pra ver e visitar a filial que abriu há pouco também aqui em Berlim, na Tauentzienstraße, perto da estação Zoologischer Garten,  oeste da cidade, onde há um grande centro de compras. Realmente a Forever 21 realmente não deixa a desejar e, na minha opinião, desbanca as concorrentes de fast-fashion com preço similar, no caso a H&M, Berska, Pull&Bear, Pimkie, etc. (Zara, Vero Moda, Top Shop e Mango não entram no jogo pois têm uma proposta – e preços – mais caros) pela criatividade, design, pelas diferentes coleções paralelas e, é claro, pelo preço.

A Forever 21 daqui tem três andares e uma variedades de roupas muito satisfatória – e não serve somente a um público teenie. Há, é claro, aquelas roupas estilo “pouco pano”, muita coisa crop, colorida e high school, mas no segundo andar dá pra encontrar bastante coisa mais sóbria, roupas bacanas pra trabalhar e até mais elaboradas pra sair. E os preços são ótimos. Blusas na base dos 8 a 15 euros, já saias e calças não vão além dos 20 e poucos euros.

Como a loja é grande – e mesmo indo lá num sábado, a experiência não foi traumática. Nada de empurra-empurra e não vi ninguém se matando por alguma peça (como foi o caso da Primark há um tempo num dia de semana). Não deu para evitar uma pequena fila no provador. Mas achei ótimo não ter restrição no número de peças na hora de entrar na cabine. Dia de semana lá deve ser bem tranquilo.

Agora entendi porque as gurias fizeram fila no Brasil, mas comparando a loja de Berlim com a do shopping Morumbi de São Paulo, a de Berlim dá de dez a zero pela variedade. É muita roupa, e muita roupa legal. E olha que eu sou exigente. Fica a dica para quem vier pra Berlim.

O quê: Forever 21
Onde: Tauentzienstraße 13, 10789 Berlin
Horário de funcionamento: Seg-sab 10h-20h

Designer Outlet Berlin – Vale a pena?

Comparando com os Estados Unidos, a Europa não é um paraíso das compras. Berlim ainda se salva pois os custos de vida, como comida, transporte, cultura e moradia (até segunda ordem) são mais em conta do que outras capitais como Paris e Londres. Mas uma “shopping Erlebnis” às vezes pode deixar um pouco a desejar – claro que é mais em conta fazer comprar aqui do que no Brasil, mas não é nada absurdamente mais barato como nas terras ianques.

Fomos tirar a prova no Designer Outlet Berlin, que promete grande descontos e reúne marcas que geralmente atraem o público brazuca como Adidas, Nike, Desigual, Calvin Klein Jeans, Tommy Hilfiger, Esprit, Billabong, Guess, Levis, The Body Shop, entre outras. Abaixo um pequeno resumo das lojas visitadas (pois não deu para ver tudo) e as que pareceram valer a pena ou não.

Portão de entrada
Portão de entrada

Vale a visita:

The Body Shop: Pra quem ama os creminhos e sabonetes da Body Shop, todos os produtos são mais baratos do que os das lojas. Há boas promoções para os kits de presente, além das linhas clássicas e as de temporada. Bem bom.

Adidas: Uma boa pedida para quem quer comprar tênis. Há uma grande quantidade de tênis Adidas por preços bem mais em conta, entre 79 a 90 Euros.  O ponto alto das roupas são os abrigos com as três listras e algumas camisas de futebol. Há pouca coisa da coleção mais urbana Originals.

Guess: Boa variedade de jeans, promoções pontuais bem baratas (como um belíssimo cardigan de linho grosso com gola de pele ecológica por 39 Euros).

Esprit: Variedade IMENSA de calças, blusas e vestidos. Promoções a partir de 10 Euros. Ala masculina bem servida, com belos blusões também por preços mais baratos que nas lojas. Como a Esprit costuma ser caríssima para os produtos relativamente simples que oferece, quem é fã da marca não vai perder tempo passando lá.

Desigual: Quem gosta da mistura de cores, estampas e motivos – característica da Desigual -, vai ficar satisfeito com o outlet. Bem servido de modelos e tamanhos, parece uma loja normal. A maioria das peças tem 50% de desconto, mas como a marca é cara, isso não quer dizer que elas fiquem baratas. Um exemplo, um belo blusão de lãzinha com bordados de flores nas laterais sai por 59 Euros, apesar dos 50% de desconto.

Lindt: Toda a linha de chocolates é vendida com desconto na loja, além de caixas de chocolates incríveis mais difíceis de encontrar no varejo comum.

Noa Noa: Belas peças, boa variedade de cores e tamanhos, preço bom. Geralmente encontra-se peças da Noa Noa só em multimarcas ou em pequenas boutiques aqui na Alemanha, por isso a loja é um achado.

Deixou a desejar:

Nike: Pouquíssima variedade de artigos femininos. E o que tinha, era tão caro como nas lojas comuns.

Mango: Simplesmente não havia blusas ou camisas, só camisetes para usar por baixo. Loja bem servida de blazers e vestidos.

Bench: Também pecou na variedade. Algumas lojas parece que vendem aquilo que ninguém quis comprar.

Vero Moda: Mais uma loja que vende só o que sobrou, pouquíssima variedade e artigos muito básicos.

Não foi possível ver tudo pois o dia também não estava muito convidativo: muita neve e frio. Mas, pra quem não gosta de muvuca, visitar o outlet no inverno é ideal, pois as instalações estavam praticamente desertas. Só haviam alguns turistas e pouquíssimos clientes que pareciam ser das redondezas.

Grande variedade de lojas, mas frio e distância deve espantar clientes
Grande variedade de lojas, mas frio e distância deve espantar clientes

O acesso ao local pra quem depende do transporte público é bom. Basta pegar o RE4 (passa em Potsdamer Platz, Hauptbahnhof, Jungferheide, Spandau) e descer em Elstal. Na estação há uma placa indicando onde pegar o ônibus para outlet, que chega em menos de 10 minutos. Para voltar, a mesma coisa. O ônibus passa de hora em hora e é bem sincronizado com o trem. Um tíquete Berlim ABC (3,20 Euros) é suficiente por trecho. Para quem tem Monatskarte, basta comprar o Anschlussticket A ode C por 1,60 o trecho. Saíndo de Potsdamer Platz, a viagem durou cerca de 45 minutos. Dá pra dar uma olhada nas instruções da página do Outlet. ou no site da DB.

Vem pra Berlim e quer visitar o Outlet? Entre em contato com a equipe deBerlim. A gente te leva lá :)