Arquivo da tag: Festa

Casamento na Alemanha – Pequeno manual de etiqueta

Estive em um casamento semana passada e tive a ideia de escrever um pequeno texto para ajudar quem vai a um em breve ou pensa em casar na Alemanha. Diferente do Brasil, os casamentos na Alemanha tendem a ser mais simples e informais e não ocorrem com tanta frequência. Mesmo assim, não deixam de ser bonitos e especiais.

Cerimônia civil
Como no Brasil, alguns casais optam por oficializar a relação só no civil. Os noivos recebem um número pequeno de convidados (até no máximo 50 pessoas, de acordo com o tamanho do lugar). Os casamentos civis são realizados no Standesamt, que pode ser um prédio simples ou uma construção histórica, e ocorrem geralmente no final da manhã (11h).

Após marcar a data e reunir toda a papelada, o casal encontra-se com o escrivão (Standesbeamter) que realizará o casamento para contar um pouco de sua história. Para tornar a cerimônia mais pessoal e mais bonita, ele resume a história do casal antes de começar com as formalidades. Dependendo do Standesamt, é possível colocar uma música ou de contratar um cantor. Nesse casamento que fomos, uma moça cantou e tocou teclado. O som estava tão bom que eu jurei que era um CD. Os noivos podem optar por fazer um pequeno discurso  durante a troca das alianças. Após o encerramento, eles recebem os cumprimentos dos convidados e geralmente oferecem um pequeno brinde (Sektempfang).

Noivos na cerimônia civil
Noivos na cerimônia civil

No caminho para a recepção, os convidados acompanham o carro dos noivos e fazem um buzinaço. Bem comum também entre a comunidade turca aqui em Berlim.

A celebração após a cerimônia varia de acordo com o gosto dos noivos. Pode ser um almoço em um restaurante, um pequeno buffet em uma locação ou até um grande piquenique no parque.

Cerimônia religiosa
O casamento religioso também costuma ocorrer de dia (entre 11h e 14h) A maioria das igrejas na Alemanha é protestante, por isso, mulheres também podem realizar a cerimônia. Além de marcar a data com bastante antecedência (pelo menos seis meses, pois no verão, a procura ainda é maior), marca-se também um encontro com o pastor para organizar detalhes como som,  passagens ou frases bíblicas sobre o amor. e os cantos – e os convidados também devem cantar. É preciso escolher entre duas a três canções que serão cantadas durante a cerimônia – músicas que não precisam necessariamente ser da igreja.

O pastor tocou violão, foi muito fofo.
O pastor tocou violão, foi muito fofo.

Não há espaço de destaque para padrinhos e madrinhas. Geralmente há um padrinho, que é um grande amigo do noivo. Eu escolhi minhas madrinhas, mas ela só sentaram na primeira fila (perdão, gurias). Isso, no Brasil, é bem mais legal. Quando mostro minhas fotos do casamento no Brasil, com sete casais de padrinhos, as pessoas acham engraçado aqui.

Por isso, não há cortejo na cerimônia. O noivo aguarda a noiva no altar. Ela entra na igreja levada pelo pai e era isso.

Acredito que é possível fazer diferente, mas como casei no Brasil e aqui, eu deixei a cerimônia daqui ser feita de acordo com o que foi sugerido pelo pastor e acordado pela família do meu marido.

No casamento religioso, os noivos sentam durante a cerimônia, em duas cadeiras colocadas em frente ao altar.

Após a cerimônia, os noivos recebem os cumprimentos dos convidados na frente da igreja. Logo após, os mais próximos se deslocam para a recepção também fazendo um buzinaço seguindo o carro dos noivos.

Como o casamento ocorre de dia, os convidados geralmente são recepcionados com um buffet para o almoço. E a celebração geralmente vai longe. Na metade da tarde serve-se o “Kaffee / Kuchen” (café com bolo) e, para os que ainda têm forças, pode haver um churrasco durante a noite e uma pista de dança. Prepare-se para um longo dia de festa e manere na bebida, pois os alemães têm mais resistência ao álcool do que nós e eles bebem bastante.

Tradições

Há diversas tradições, como prendas que os noivos devem pagar, feitas pelos “amigos”, vizinhos ou familiares do casal. Nesse que fomos, os noivos precisavam cortar juntos, dividindo uma tesoura, faixas de papel crepom. Isso representa os obstáculos no caminho.

"Cortando" os obstáculos juntos
“Cortando” os obstáculos juntos

Outra (que eu tive que passar), foi ter que sentar num carrinho de mão decorado com flores, com aquele vestido enorme, e ser levada pelo meu marido até a entrada da festa. Em cada pausa, o casal deveria se “abastecer” com uma dose de schnaps (qualquer destilado barato).

"Essa é a onda, essa é a onda do carrinho de mão... pá pá"
“Essa é a onda, essa é a onda do carrinho de mão… pá pá”

O mais difícil de todos, na minha opinião, é serrar um tronco de árvore. Cada um pega um lado do serrote para cortar um tronco e provar que vai superar as dificuldades juntos. Tudo bem, é algo simbólico que tem um significado bonito, mas às vezes, dependendo do tamanho do tronco, pode ser cruel. Como casamos no alto verão e fomos “presenteados” com um tronco gigante, meu marido suou tanto que teve de trocar a camisa. Comigo, foi a maquiagem e o cabelo que cederam antes do planejado. Mas tudo bem, é tradição e é super divertido para quem olha.

Prendinha...
Prendinha…

 

...prendão :(
…prendão :(

 

As crianças convidadas costumam trazer flores para a noiva. Isso é muito bonitinho.

Traje

Não tenho muita experiência em casamentos aqui ainda, mas como falei no começo. a festa é encarada com menos formalidade. Por isso, não se assuste se alguém aparecer de calça jeans ou até mesmo de chinelo. Na dúvida, pergunte aos noivos para evitar desconforto com roupas muito formais (ex. salto alto quando a festa será no campo, terno e gravata quando a cerimônia será um churrasco no parque). Nesse casamento que eu fui, nas montanhas, muitas pessoas estavam arrumadas na cerimônia, mas levaram roupas confortáveis (e digo, bermuda e chinelo mesmo), pois a celebração foi bem informal. Mas, novamente, isso depende muito do estilo dos noivos.

Não perca tempo com vestidos longos e saltos altos. Vestidos mais trabalhados ou de tecidos finos na altura do joelho são coringas. Para os homens, o figurino não varia muito. Calça e camisa social não dão chance para erros. Gravata também é opcional.

Presentes

Na hora de dar um presente, não esqueça do cartão, que é sempre legal para guardar de recordação. Ainda não soube de um casamento com lista de presentes em uma determinada loja. Geralmente os convidados trazem algo para a casa (um livro de receita, um pequeno jogo de louça, chocolates, etc.) ou presenteiam os noivos com dinheiro.

Espero que essas dicas sejam úteis. Insisto em repetir que essas são as impressões de quem não tem muita experiência no assunto, mas acredito que pode servir para se ter uma ideia sobre como é um casamento na Alemanha. Adoraria ouvir outras histórias nos comentários :)

Fim de ano em Berlim

Programe-se para aproveitar o melhor da cidade durante as festas de fim de ano.

Berlim lentamente prepara-se para as funções de fim de ano. Os dias já não vão além das 17h e a temperatura nos obriga a usar roupas mais quentes. Mas a vida na cidade bomba com a chegada do Natal.

Adventskalender da Lindt: contagem regressiva com um docinho por dia até o Natal
Adventskalender da Lindt: contagem regressiva com um docinho por dia até o Natal

Dezembro é um mês celebrado desde o começo com os Adventskalender, que são calendários com um mini-presente, geralmente um chocolate, para cada dia até o Natal. Os mais simples são em forma de caixinha com uma portinha em que há uma surpresa para cada dia.  Há outros mais elaborados, como o da Douglas e o da Body Shop  com produtos de beleza. Tem gente que faz o seu próprio calendário para presentear amigos e amores.

Hoje, dia 24, deu-se inicio à temporada dos mercados de Natal (Weihnachtsmarkt), que são, na minha opinião, a atração mais legal da temporada. Há vários mercados pela cidade, sendo que os mais populares são o de Gendarmenmarkt, Alexanderplatz e Gedächtniskirche em Zoo. As noites se enchem de luzes, velas e casinhas que vendem quentão (Glühwein), amêndoas carameladas, salsicha (é claro), e diversas opções de decoração e presentes de Natal. Fora o Gedarmenmarkt cuja entrada custa € 1, todos os outros mercados são gratuitos.

Temporada dos mercados de Natal começou hoje.
Temporada dos mercados de Natal começou hoje.

Pra garantir umas fotinhos, dei uma passada no mercado de Zoo e não pude evitar as delícias: crepe de Nutella e Quentão. Hummmm…

Para os berlinenses de coração que já enjoaram dos mercados tradicionais, a revista Zitty publicou uma lista com os mercados de Natal alternativos, incluindo o do super hypado Neue Heimat , que dão espaço a novos talentos da arte e da moda.

Pra quem gosta de patinar no gelo, há diversas pistas com aluguel de patins. A minha preferida é fica no Horst-Dohm Eisstadiom na estacão S Hohenzollerndamm (Ring) pois a pista de atletismo também está aberta para patinar, dando mais liberdade para correr. Há sempre música tocando e há um quiosque com coisinhas para beliscar. O ingresso curta € 3,30 e o aluguel dos patins por 1h30min sai por € 6,50.  A temporada já está aberta e o horário de funcionamento você confere aqui.

E o réveillon?

Diferente do clima do Brasil, aqui não há a tradição de vestir branco na virada do ano. Geralmente as pessoas se reúnem na casa de alguém e fazem uma janta para comemorar o réveillon. Muitos restaurantes trabalham na noite, mas é necessário fazer uma reserva com antecedência.

Em Berlim há a tradicional festa da virada no Portão de Brandemburgo para quem não se importa de encarar uns graus negativos. Há show de fogos de artifício e diversas atrações musicais que serão divulgadas na segunda semana de dezembro. A entrada é franca.

Em Novembro, vai ter mais festa no portão com os 25 anos da queda do muro.

Uma das festas mais disputadas será provavelmente a Heros For One Night, (em homenagem ao todo-poderoso David Bowie) no Neni e no Monkey Bar do recém aberto 25hours Hotel. Os preços dos ingressos variam de € 100 a € 230.

3342_7_25hours_Hotel_Bikini_Berlin_Silvester-1

 

 

Para quem quer ir pra noite, há centenas de bares e boates que organizam festas. Aqui há algumas opções reunidas e já é possível comprar um ingresso.  Há também uma grande festa no Kulturbrauerei, com pelo menos três boates e ambiente open air.

De dia um complexo cultural, de noite, vida noturna intensa no Kulturbrauerei
De dia um complexo cultural, de noite, vida noturna intensa no Kulturbrauerei

Para quem gosta de indie rock, vai ter festa do Karrera Klub no Magnet, a Silvester Pop Explosion e uma festinha no Lido, a Lido! Lido! Party Hits. Ambos são clubes menos mainstream, com ingressos e bebidas mais baratas e música para cantar junto.

Infeninho indie: Magnet
Infeninho indie: Magnet

Assim que soubermos de mais novidades, postaremos aqui. Quem estiver vindo pra cidade em dezembro e quiser passear com a gente, basta nos enviar um email. Viel Spaß!

Para se achar no final de semana – Go Berlin

go berlin

A revista  semanal Tip, que publica a programação cultural e matérias sobre comportamento e o dia a dia da cidade, lançou o projeto Go Berlin, que serve como um guia bem prático com atrações e serviços – tudo por meio de uma plataforma baseada no Google Maps.  Mais do que bares, restaurantes e cinemas, há informações úteis sobre escolas, órgãos públicos, embaixadas, hospitais e farmácias.

É possível adicionar interesses diferentes à busca (Programação, Gastronomia, Tempo Livre e Cidade) e filtrá-los. Na parte gastronômica, é possível ainda filtrar o tipo de cozinha de cada restaurante (italiana, asiática, americana, alemã…), ver a faixa de preço e algumas referências de cada lugar. Legal para quem busca algo bem específico e, de quebra, feito por quem é daqui. A única desvantagem é que ainda não há versão em inglês – mais um motivo para se puxar nas aulas de alemão… Tomara que eles disponibilizem logo um app.

Já adicionamos o Go Berlin nos nossos links, logo ali abaixo, no canto direito. Feliz sexta-feira!

 

Vai ter: Karneval der Kulturen

No final de semana ocorre a maior e mais esperada festa de rua berlinense

Karneval der Kulturen 2013 from Karneval der Kulturen on Vimeo.

Ao contrário do pessoal de Colônia, os berlinenses esperam o verão chegar pra botar o povo na rua para sambar… ou dançar qualquer coisa saia das baterias e trios elétricos. O Karneval der Kulturen define-se como um festival urbano que mostra a diversidade de Berlim. Com uma programação de quatro dias – com entrada franca – o evento celebra as várias culturas que a capital da Alemanha coleciona por entre suas esquinas.

O programa completo do carnaval você encontra aqui.  Tem de tudo, música, performances, gastronomia e dança espalhados pelos arredores de Hallesches Tor, Mehringdamm e Hermannplatz. Mas o ponto alto é o tradicional desfile de domingo, dia 8, que fecha as ruas de Kreuzberg e reúne cerca de 5,3 mil participantes divididos entre 82 grupos culturais – 74  de Berlim e oito convidados. Já o público esperado está na casa das 70 mil pessoas. O desfile começa às 12h30 em Hermannplatz, passando por Hasenheide e Gneisenaustraße e termina em Mehringdamm, lá pelas 21h. Imperdível.

Pra quem tá com saudade do Brasil, pode aproveitar pra dançar um batuque e tomar uma caipirinha nos vários bares espalhados pelas ruas por onde o desfile passa. Pra quem está visitando Berlim e tem a sorte de estar presente na época do carnaval, não perca. É uma grande festa incrível, multicultural, de graça e ao ar livre!

Dicas úteis:

– Tem que gostar de multidão: prepare-se para encarar um metrô lotado ao chegar perto de Kreuzberg. As plataformas também ficam cheias. Em função do bloqueio das ruas, é preciso ter paciência para conseguir chegar em determinados lugares.

– Banheiro: a maioria só nos bares ao redor, e tem que pagar normalmente a partir de 0,40 centavos de Euro.

– Tempo: a previsão aponta 30oC. É verão. Roupas leves e confortáveis são regra.

– Comunicação: como há muita gente aglomerada, o celular nem sempre funciona. Nem SMS vai. O jeito é marcar um horário e um ponto de encontro pra encontrar o pessoal.

Gurizadinha no ano passado - inesquecível
Gurizadinha no ano passado – inesquecível

 

 

10 coisas que você tem que fazer quando estiver em Berlim

Berlim é uma cidade  que rende milhões de listas. Como quem vos fala anda por terras brasileiras, resolvi aquecer os ânimos deBerlim com uma pequena listinha que elaborei em 2009 no meu antigo projeto Indiesphere que, apesar do passar do tempo, continua bem atual para quem planeja conhecer ou retornar para a cidade. Acha que faltou alguma coisa? Não deixa de escrever tuas dicas nos comentários!

—-

Desde que moro aqui, alguns bons amigos já vieram me visitar. E é claro que eu faço questão de mostrar tudo que a cidade tem de melhor que, normalmente, não está nos guias de turismo. Pois bem. Para facilitar a vida de todos e a minha também, resolvi escrever tudo de uma vez só para poder apenas dar um ctrl+c ctrl+v pra quem vem.

 

1- Comer Currywurst no Konnopke’s

Foto: Julia Dócolas
Foto: Julia Dócolas

Pra quem não sabe, currywurst é uma salsicha na brasa servida com ketchup e curry em pó. Ela vem picadinha e mergulhada no molho. Obviamente, é possível encontrar currywurst em cada esquina da cidade, mas não há melhor do que a do Konnopke, pertencente à história de Berlim desde 1930. Direto na estação Eberswalder Str, no coração de Prenzlauer Berg, é muito normal ter fila e infelizmente eles fecham cedo (se eu não me engano, às 19h). E eles são tão famosos, que nem trabalham nos domingos e feriados.

Por que o Konnopke é melhor:

Foto: Julia Dócolas
Foto: Julia Dócolas

O Imbiss tem um clima muito familiar. Além do mais, o ketchup deles é especial, dá pra escolher entre 5 níveis de pimenta. Dica: é bom pedir a currywurst mit pommes (com fritas) e com um pãozinho pra acompanhar. É uma delícia.

 

2 -Tirar foto nas Photoautomats

 

Não gaste dinheiro em cartões postais. Te joga na photoautomat com teus amigos e garante a lembrança mais fofa de Berlim por apenas 2 Euos. As máquinas são antiguinhas e as fotos saem em preto e brancao (deixando todo mundo bonito! Heheh). É normal ter fila nas noites de final de semana, quando o pessoal se empolga e se mete na cabininha pra levar uma lembrança dos momentos felizes. Elas estão espalhadas em lugares estratégicos da cidade. Ano passado, tinha uma ainda dentro do Bar 25, na beira do Spree.* (Nota da autora: o clássico Bar 25 não existe mais. Pra ter uma ideia do que era, vale a pena conferir o filme Berlin Calling)

 

3 –Tomar uma Berliner Weiss Rot no Prater’s

Foto: Julia Dócolas
Foto: Julia Dócolas

O Prater é um biergarten ali na Kastanienalle (pertinho do Konnopke e quase a frente de uma photoautomat). Se você vai pra Berlim nos meses quentes, tem que dar um pulo lá e tomar a Berliner Kindl Weisse Rot. Eles servem a cerveja num copinho baixo, misturam groselha e servem com canudinho. Eu adoro. Também tem a versão pronta na garrafa. Mas a mistura feita na hora deixa a bebida mais saborosa.

 

4 – Comer sushi em Kotbusser Tor

Ahhh, porque aqui em Berlim o esquema do sushi não é tão farto como no Brasil. Mas eu achei uma solução! Eu gosto da filial na Adalbertstrasse porque fica no meio de Kreuzberg, conhecido pela grande comunidade turca e pelos vários botecos (kneipes). Os caras que trabalham lá mal falam alemão, é sushi feito por quem entende mesmo. Eles têm desconto de 50% no happy hour, que vai das 11h às 22h . Como sempre o spicy tuna gekocht e o salmão com cebolinha. Impossível não passar lá a cada visita a Berlim. Dá pra comer muito bem e pagar 12 euros (com uma bebida). (Nota da autora: o meu sushi preferido do momento é o Yoko, mas o forte deles é a tele-entrega. O sushi é melhor, mas o preço é mais alto.)

 

5 – Tomar chocolate gelado no Balzac Coffee

Foto:  Julia Dócolas
Foto: Julia Dócolas

O Balzac é uma imitação do Starbucks, mas é barato e mais gostoso. Eu amo o Balzac.  Mas como eu não tomo café mesmo, recomendo o ice dark chocolate mit sähne. Eles servem com gelo mesmo. E no topo colocam marshmallow com calda de chocolate.

 

6 – Pegar sol, nadar e socializar na Badeschiff!

Berlim não tem praia?? Os berlinenses dão um jeito!! A Badeschiff é praticamente uma praia (com areia e tudo) na beira do rio Spree com uma super piscina no meio do rio. No verão, não importa se é dia de semana, cedo ou tarde, sempre está lotado de gente nova e bonita. Por menos de 10 euros é possível curtir o dia todo lá. Recomendo chegar antes das 11h pra pegar uma espreguiçadeira na areia, porque depois só sobra lugar lá longe nos decks ou no concreto. Mas não importa. Na borda do piscinão, dá pra sentar e ficar curtindo o visual. Dá a impressão que estamos boiando no meio do rio. Imperdível!

 

7 – Tirar uma fotinho deitado(a) na grama da Catedral

Berliner Dom

Diga adeus às fotos chatas. Bem em frente à praça (ou gramado), passando o chafariz, deite no chão, de barriga pra cima, com a cabeça virada pra catedral. Peça pro seu parceiro de viagem sentar no chão a sua frente (de frente pra catedral), vire a cabeça pra ele, dê aquele sorriso e garanta a foto mais bacana na frente da catedral Berlinense.

 

8 – Fazer um grillzinho no Volkspark am Friedrichshain

Esse é o meu parque favorito!! Lindo, com Biergarten, laguinhos e muito verde. Junte a turma, compre a carne, leve toda a tralha (cerveja quente, mostarda, molhos e pão), te joga no chão e faz um churrasquinho. O parque é completamente seguro e dá pra ficar até tarde no horário de verão, porque anoitece super tarde. Difícil é achar lugar pra armar a função, porque todo mundo vai pra lá. (Nota da autora: oficialmente, é permitido fazer churrasco apenas no topo de um dos morros do parque, mas a maioria dos frequentadores não dão muita bola pra essa regra. Se você não quer se incomodar, não se arrisque e respeite as áreas permitidas.)

 

9 – Passar pela estação Alexanderplatz entre 0h – 2h nas noites de sexta ou sábado antes da festa

Foto: Julia Dócolas
Foto: Julia Dócolas

Berlim é famosa pela vida noturna. Mas como é IMPOSSÍVEL conhecer tudo que é casa noturna passando um final de semana, dá pra ter uma boa impressão do que tem por aqui na estação de metrô de Alexanderplatz. A estação é um ponto de conexão entre toda a cidade, onde passam trens, metrôs, bondes e ônibus. Por isso, todo mundo acaba indo por ali pra ir pra qualquer lugar. Durante esse horário, todas as tribos estão soltas e caminham por ali com seus amigos, cantando, falando alto, surtando e até brigando, sempre com uma Biërchen (cervejinha) na mão. É uma experiência antropológica!

 

10 – Curtir a White Noise no White Trash Fast Food

 

A melhor pedida pra ter uma impressão do que a noite de Berlim pode oferecer. Restaurante, tattoo saloon e disco, o White Trash é meu lugar preferido da cidade sem ser arrogante. O ingresso custa de 6 a 10 euros e não tem essa de doorman barrar na porta como rola em outros clubes tradicionais, como o Bergheim, Bar 25, etc. Sempre que posso, vou lá todos os sábados. O teto baixo da pista principal dá aquele climão de inferninho e o pessoal literalmente derrete com a escolha certeira do line up dos Dj. (Nota da autora: O White Trash está de mudança de Prenzlauer Berg para Kreuzberg. Não conheço o lugar novo, por isso é melhor conferir a programação no site antes de ir pra lá direto).

 

A lista vai longe. Mas sabe como é, dez é sempre um número emblemático. Quem quiser mais ou quiser colaborar com mais dicas, bitte schreib mir: deberlim.com@gmail.com