Arquivo da tag: Transporte público

Primeiros passos em Berlim: A passagem certa no transporte público

O transporte público (S-Bahn, U-Bahn, Bus e Tram) de Berlim é um dos pontos altos da cidade. Além de rápido e relativamente pontual, andar de trem, metrô, ônibus e bonde é barato e seguro. Para quem chega em Berlim pela primeira vez, organizamos um pequeno passo a passo de como e qual passagem comprar.

Mapa do transporte público em Berlim
Mapa do transporte público em Berlim

Venda de passagem nas máquinas automáticas

Transporte público em BerlimEssa geralmente é a tela inicial das máquinas de passagem em Berlim, disponíveis em estações de trem e metrô. Para quem anda de ônibus, é possível comprar direto com o motorista. Já no bonde, há uma máquina dentro do veículo.

Basta tocar na tela para 030visualizar o menu principal. ABC são as zonas da cidade. Normalmente a zona AB é suficiente. Quem quer ir a Potsdam ou precisa ir até o aeroporto Schönefeld (SXF ou BER) precisa de um adendo da passagem (falarei sobre isso mais abaixo).

db002Quem se vira em inglês, espanhol, francês ou polonês pode efetuar a compra nesses idiomas. A opção encontra-se no canto direito inferior da tela.

 

Passagem simples

A passagem simples (Einzelfahrschein) região AB dura 2 horas e permite quantas baldeações forem necessárias desde que feitas em uma só direção. Ela custa 2,70 Euros.  Mas antes de sair comprando, é importante levar em consideração o tempo que você ficará na cidade e a frequência do uso do transporte público em Berlim, pois há opções que podem sair mais em conta.

 

Berlin WelcomeCard

O Berlin WelcomeCard é indicado para quem visita a cidade pela primeira vez e quer conhecer as principais atrações turísticas. O passe, que pode valer desde 48 horas, 72h ou cinco dias, oferece desconto em restaurantes, determinados tours e museus e custa entre 19,50 a 34,50 Euros.

 

Passe diário (Tageskarte)

Para quem quer passear sem restrições por Berlim até às 3h da manhã do dia seguinte, o Tageskarte é uma boa opção. Por 6,90 Euros você anda quantas vezes quiser durante um dia pelo valor de um pouco mais do que duas passagens simples.

 

Passagem semanal (7-Tage-Karte)

Quem planeja ficar mais tempo em Berlim pode comprar a passagem semanal. Ela é um pouco mais chatinha de encontrar no menu. Selecione “andere Fahrscheine” (outras passagens) e depois “7-Tage-Karte”. Para a zona AB, ela sai por 29,50 Euros (ainda mais em conta do que os 5 dias do Berlin WelcomeCard, por exemplo).  Por isso indico sempre essa passagem para quem passará mais tempo em Berlim e não quer fazer turismo feijão com arroz. Uma semana é um período bom para sentir mais a cidade e conhecer com calma o verdadeiro ritmo berlinense.

 

Passagem de ligação (Anschlussfahrschein)

Se você adquiriu uma passagem AB mas precisa ir para o aeroporto Schönefeld, quer passear em Potsdam ou fazer compras no Designer Outlet Berlin, não é necessário comprar uma passagem ABC. Basta adquirir uma Anschlussfahrschein A oder C (não sei se a tradução exata seria passagem de ligação, mas no caso é só um adendo a passagem já adquirida) por 1,60 Euros o trecho. Encontre a passagem em “Andere Fahrschein”, role a barra para baixo e selecione a região que você quer visitar.

 

Pagamento

db018Depois de selecionar a passagem desejada, as formas de pagamento serão informadas. Geralmente as máquinas aceitam moedas (as mais novas aceitam notas) e cartões de crédito e débito. Basta inserir o dinheiro ou o cartão no lado direito da tela.

 Validação

db019Apenas comprar a passagem não é suficiente para usar o transporte público em Berlim. É preciso validar o bilhete, inserindo-o nas máquinas localizadas ao lado das de venda. A passagem será carimbada e vale a partir deste momento. Andar com passagem sem carimbo é motivo de multa de 40 Euros (e a pagação de um mico no trem).

Não há catracas nas estações. Mas o controle das passagens é feito à paisana. Quem viaja sem passagem também leva uma multa de 40 Euros.

Pequeno manual de etiqueta para o transporte público em Berlim:

Não custa lembrar, vale pra Berlim e pra qualquer lugar do mundo…

– Quando as portas se abrem, espere todas as pessoas descerem para depois embarcar.

– Volume: não há nada de errado em conversar durante a viagem, mas evite falar muito alto.

– Nada de ouvir músicas ou conversar no celular no alto-falante.

– Evite transportar bicicletas na hora do rush (7h30 – 9h) (17h30 – 19h30).

– Ao transportar bicicletas, crianças pequenas, carrinhos de bebê ou cães, não esqueça da devida passagem. Caso haja controle e você estiver sem passagem, há uma multa de 40 Euros.

– Dê lugar para idosos, gestantes ou pessoas com necessidades especiais.

– Quando o trem está cheio, evite se posicionar perto das portas para evitar aglomerações. Há sempre mais espaço no meio do vagão.

 

Esse post foi elaborado por sugestão do Gus. Quem tiver outras sugestões pode entrar em contato com a gente. Adoramos trocar ideias: contato@deberlim.com

Quanto custa morar em Berlim?

Para quem vem morar em Berlim, organizamos um pequeno FAQ sobre os principais custos de vida na cidade.

 

Berlim até pouco tempo era conhecida como uma cidade “amiga do proletariado”, com custos de vida (moradia, alimentação e lazer) relativamente baixos em comparação com outras capitais da Europa. Nos últimos anos,  a população da cidade vem crescendo, influenciando principalmente o preço dos aluguéis. É difícil definir um valor exato de custos mensais, mas, para quem não precisa de grandes luxos, é possível viver uma vida digna com pelo menos           € 1,2 mil por mês.

Estou atrás de um quarto / apartamento, o que faço?

Um quarto numa WG (apartamento compartilhado – comum entre estudantes e profissionais recém formados – varia entre € 280 a         € 450 (dependendo do tempo da estadia, ele pode vir mobiliado). Tudo depende da localização do apartamento e do tamanho do quarto.

Sites para encontrar quarto (às vezes há ofertas de apartamentos):

WG Gesucht

Studenten WG

Wohngemeinschaft.de

Alugar um apartamento por tempo indeterminado pode ser mais complicado. Os documentos geralmente exigidos são: comprovante de renda, comprovante de residência (Anmeldung) e o Schufa, que é uma espécie de SPC, que mostra se o interessado tem dívidas ou é um mau pagador. Além disso, podem pedir um atestado de bons antecedentes escrito pelo proprietário do apartamento anterior.  Já tenha todos esses documentos em mãos quando foi visitar o apartamento (Besichtigung), porque a procura por um novo lar é um disputa acirrada em Berlim.

Site para encontrar apartamentos para alugar no longo prazo:

Immobilienscout 24

 

 

Custos com alimentação

Foto: Julia Dócolas

Comer e beber em Berlim continua sendo barato. Em restaurantes modestos (asiáticos, italianos, etc), a média de um prato simples varia entre 5 a 8 Euros. Mantimentos básicos no supermercado também são bem em conta, muitas vezes mais baratos do que no brasil. Abaixo, alguns exemplos:

– Macarrão 500g, entre € 0,60  a € 1,50 o pacote
– Pão francês (Schrippe) € 0,20 centavos
– Peito de frango congelado 500g € 2,60
– Suco de laranja (1L) € 0,90
– Cerveja 500mL € 0,70
– Bratwurst (salsichão com pãozinho) dos vendedores ambulantes    € 1,50

A onda dos food markets (comida de rua) também bomba na cidade. O mais popular é o Street Food Thursday, frequentado por hipsters, expats e turistas.

 

Custos com lazer

010 Festa open air - vida noturna (1)

Os berlinenses prezam muito os momentos de lazer. Quando o tempo permite, bom mesmo é fazer atividades ao ar livre. Por isso parques e lagos costumam encher. Piqueniques e churrascos são sempre uma opção divertida e barata na época de dias mais quentes.  Pra quem gosta da vida noturna, os ingressos para festas variam entre  € 3 a € 20. Mas claro, tudo depende da proposta, do público e do local. Há uma diversidade de shows e atividades culturais. Museus, por exemplo, custam em média entre € 10 a € 20. Shows de bandas mais famosas, a partir de € 50.

 

Custos com transporte público

Foto: Julia Dócolas

O serviço de transporte público em Berlim costuma ser bem eficiente e cobre praticamente todos os cantos da cidade e região com o S-Bahn, U-Bahn, Trams (bondes) e ônibus.  Para quem vem visitar, vale comprar o Tagesticket (passagem diária sem limite de uso) por € 6,70 ou o semanal (Wochenticket) € 28,80.

O tíquete mensal (AB), sem limite de uso durante o período, custa € 78. Estagiários (Azubis) pagam € 55. Estudantes universitários devidamente matriculados em Berlim pagam um tíquete semestral, com um valor super reduzido (infelizmente não tenho agora o preço exato). Não há descontos para estudantes de alemão das escolas de idiomas! Para quem trabalha, há a opção de fazer uma assinatura anual, que sai por € 690 quando paga a vista. Mais informações sobre as tarifas no site da BVG.

Os veículos do transporte público não possuem catracas, o que causa surpresa nos que chegam na cidade. Mas ande sempre com sua passagem válida em mãos, pois o controle é feito a paisana. Quem for flagrado sem passagem paga € 40 e um mico. Quando a situação se repete com frequência, o infrator pode ser preso.

 

Custos com saúde

Quem opta por fazer um plano de saúde público na Alemanha (IKK, AOK, TK…) paga de acordo com a sua situação profissional. Quem é estudante arca com cerca de € 90 por mês. Estagiários e profissionais com contratos (não vale para mini-jobs) têm o valor descontado (cerca de 14%) direto do contracheque. Quem está desempregado (sem benefícios do governo) ou autônomo paga a partir de € 160 por mês. O seguro saúde daqui também cobre serviços odontológicos.

 

Custos com roupas

20140524_153447

Comprar roupa não é um grande problema para quem deseja economizar dinheiro. As lojas de fast fashion, apesar de todas as denúncias e críticas estão sempre cheias. A Primark tornou-se a mais popular. Forever 21, H&M, Pimkie, Vero Moda, Zara e diversas outras lojas menores sao algumas delas.  O comércio online também é muito forte, liderada pela Zalando, que oferece várias marcas e frete grátis.

A cultura dos mercados de pulga (Flohmarkt) é muito forte. Nesse link, há uma lista dos principais e quando eles ocorrem.

Esse resumo é baseado na nossa experiência na Alemanha. Não somos responsáveis por eventuais mudanças das tarifas dos serviços citados.

Você sabe de outros serviços que podem ser importantes para ajudar e informar outras pessoas? Deixe aqui seu comentário! :)

Carona no transporte público – Solidariedade ou oportunismo?

Quem tem um Monatskarte ou faz um Abo (assinatura) anual para usar o transporte público da BVG de Berlim tem o direito de levar alguém de graça todos os dias a partir das 20h e durante as 24h dos domingos e feriados.

De acordo com uma matéria publicada no Tagesspiegel de ontem (02.02.14), a Associação Berlinense dos Amigos da Natureza, ou Berliner Landesverband der Naturfreunde, quer promover uma ação que identifica portadores desses tíquetes por meio de bottons – para que eles possam levar passageiros de carona “na faixa”.

A diretora  da associação, Judith Demba, conta que foram fabricados cerca de 5 mil bottons e mais de 1,5 foram distribuídos. O objetivo da ação é promover a mobilidade e inserir as pessoas de baixa renda na sociedade, visto que muitas deixam de ter acesso à cultura ou até a ver seus familiares por não poderem pagar o transporte.

Quem quiser se informar sobre a ação pode acessar esse site.  Se a sociedade Berlinense está de acordo ou considera a iniciativa tão solidária como ela soa são outros quinhentos.  Entre as principais críticas, fala-se da dificuldade em acertar o percurso, visto que o “carona” deve embarcar e desembarcar na mesma parada do dono do tíquete. Outro problema é a reação da BVG, que pode optar por subir ainda mais o preço das tarifas caso haja uma considerável diminuição na venda de passagens. Ou ainda há aqueles que podem tentar lucrar com a novidade, querendo explorar o carona e cobrar  um preço abaixo da tarifa normal para poder levá-lo junto.

Será que a moda pega?