Arquivo da tag: turismo

A boa do último findi em Berlim

Em função do tempo bom, fizemos dois programas que agradam tanto os berlinenses como os turistas durante um final de semana em Berlim. O primeiro foi assistir ao jogo do time da casa, o Hertha BSC contra o FC Köln pela Bundesliga, o que seria o nosso Brasileirão.

Olympiastadion - sede do Hertha BSC, que está sempre tentando se segurar na primeira divisão.
Olympiastadion – sede do Hertha BSC, que está sempre tentando se segurar na primeira divisão.

O jogo foi absurdamente chato, O juiz estava tão entediado com aquele lenga-lenga que assim que o relógio marcou 90 minutos, ele finalizou a partida.

Apesar da rivalidade – um tanto morna pelo tédio do jogo – haviam setores mistos do estádio. Fãs de ambos os times – azul do Hertha e Vermelho do Köln – torciam pacificamente lado a lado.

Torcida mista no jogo morno
Torcida mista no jogo morno

O passeio valeu pelo estádio, construído na década de 1930, período que os alemães não se orgulham de lembrar. Mas a estrutura e a arquitetura do estádio são indiscutíveis. Um exemplo de menos destaque, mas de grande importância são os banheiros, incrivelmente limpos e bem cuidados. Não estive no Brasil durante a Copa, mas a lembrança que tenho do velho Beira-Rio e do extinto Olímpico não me deixaram com saudades.

Outra medida que eu acho muito inteligente é o sistema de casco para os copos de bebida (Pfand). Quem compra uma cerveja ou refri no estádio paga dois Euros pelo copo – de plástico resistente. Como  dois Euros é muito dinheiro, todos guardam os copos até o final da função e pegam o dinheiro de volta nos quiosques. Além de mais sustentável, a ideia facilita a manutenção do estádio, pois as arquibancadas no final do jogo não ficam cheias de lixo.

Para quem gostaria de ver um jogo, é possível comprar ingressos online aqui. Mas não se iluda, não há mais nada para a final da Champions League, a menos que você queria pagar mais de 1 mil Euros por um ingresso.

Já o domingo foi dia de um programa bem família no Zoo. Como há a possibilidade de comprar um ingresso anual por um bom preço, o Zoo torna-se uma opção coringa para pais com crianças em busca de distração. O bom tempo ajudou a encher o parque. Apesar da lotação, o espaço é tão grande que não chega a comprometer o passeio para quem não está na vibe infantil.

Zoo
Zoo

Mesmo há seis anos em Berlim, nunca havia visitado o Zoo. Há vários restaurantes, banheiros e sorveterias espalhados, além de um simpático biergarten. Mesmo não sendo fã de bichos presos e expostos, dá pra ver que tudo é muito bem cuidado. De acordo com a página do Zoo na Wikipedia, ele abriga o grupo de animais mais completo do mundo. Desde girafas, elefantes, leões, cangurus, ursos… até os pinguins e canarinhos brasileiros, dá pra ver de tudo e se divertir com a fofura dos bichos.

Pinguins, meus preferidos
Pinguins, meus preferidos
Espaço dos cangurus
Espaço dos cangurus
Alguns dos bichinhos parecem posar para as fotos
Alguns dos bichinhos parecem posar para as fotos
O lago dos flamingos
O lago dos flamingos
Biergarten para curtir o tempo bom
Biergarten para curtir o tempo bom

 

Ingressos para o Zoo (13 Euros – adulto) podem ser adquiridos online, nas bilheterias automáticas da BVG (metrô) ou na bilheteria do local.

Primeiros passos em Berlim: A passagem certa no transporte público

O transporte público (S-Bahn, U-Bahn, Bus e Tram) de Berlim é um dos pontos altos da cidade. Além de rápido e relativamente pontual, andar de trem, metrô, ônibus e bonde é barato e seguro. Para quem chega em Berlim pela primeira vez, organizamos um pequeno passo a passo de como e qual passagem comprar.

Mapa do transporte público em Berlim
Mapa do transporte público em Berlim

Venda de passagem nas máquinas automáticas

Transporte público em BerlimEssa geralmente é a tela inicial das máquinas de passagem em Berlim, disponíveis em estações de trem e metrô. Para quem anda de ônibus, é possível comprar direto com o motorista. Já no bonde, há uma máquina dentro do veículo.

Basta tocar na tela para 030visualizar o menu principal. ABC são as zonas da cidade. Normalmente a zona AB é suficiente. Quem quer ir a Potsdam ou precisa ir até o aeroporto Schönefeld (SXF ou BER) precisa de um adendo da passagem (falarei sobre isso mais abaixo).

db002Quem se vira em inglês, espanhol, francês ou polonês pode efetuar a compra nesses idiomas. A opção encontra-se no canto direito inferior da tela.

 

Passagem simples

A passagem simples (Einzelfahrschein) região AB dura 2 horas e permite quantas baldeações forem necessárias desde que feitas em uma só direção. Ela custa 2,70 Euros.  Mas antes de sair comprando, é importante levar em consideração o tempo que você ficará na cidade e a frequência do uso do transporte público em Berlim, pois há opções que podem sair mais em conta.

 

Berlin WelcomeCard

O Berlin WelcomeCard é indicado para quem visita a cidade pela primeira vez e quer conhecer as principais atrações turísticas. O passe, que pode valer desde 48 horas, 72h ou cinco dias, oferece desconto em restaurantes, determinados tours e museus e custa entre 19,50 a 34,50 Euros.

 

Passe diário (Tageskarte)

Para quem quer passear sem restrições por Berlim até às 3h da manhã do dia seguinte, o Tageskarte é uma boa opção. Por 6,90 Euros você anda quantas vezes quiser durante um dia pelo valor de um pouco mais do que duas passagens simples.

 

Passagem semanal (7-Tage-Karte)

Quem planeja ficar mais tempo em Berlim pode comprar a passagem semanal. Ela é um pouco mais chatinha de encontrar no menu. Selecione “andere Fahrscheine” (outras passagens) e depois “7-Tage-Karte”. Para a zona AB, ela sai por 29,50 Euros (ainda mais em conta do que os 5 dias do Berlin WelcomeCard, por exemplo).  Por isso indico sempre essa passagem para quem passará mais tempo em Berlim e não quer fazer turismo feijão com arroz. Uma semana é um período bom para sentir mais a cidade e conhecer com calma o verdadeiro ritmo berlinense.

 

Passagem de ligação (Anschlussfahrschein)

Se você adquiriu uma passagem AB mas precisa ir para o aeroporto Schönefeld, quer passear em Potsdam ou fazer compras no Designer Outlet Berlin, não é necessário comprar uma passagem ABC. Basta adquirir uma Anschlussfahrschein A oder C (não sei se a tradução exata seria passagem de ligação, mas no caso é só um adendo a passagem já adquirida) por 1,60 Euros o trecho. Encontre a passagem em “Andere Fahrschein”, role a barra para baixo e selecione a região que você quer visitar.

 

Pagamento

db018Depois de selecionar a passagem desejada, as formas de pagamento serão informadas. Geralmente as máquinas aceitam moedas (as mais novas aceitam notas) e cartões de crédito e débito. Basta inserir o dinheiro ou o cartão no lado direito da tela.

 Validação

db019Apenas comprar a passagem não é suficiente para usar o transporte público em Berlim. É preciso validar o bilhete, inserindo-o nas máquinas localizadas ao lado das de venda. A passagem será carimbada e vale a partir deste momento. Andar com passagem sem carimbo é motivo de multa de 40 Euros (e a pagação de um mico no trem).

Não há catracas nas estações. Mas o controle das passagens é feito à paisana. Quem viaja sem passagem também leva uma multa de 40 Euros.

Pequeno manual de etiqueta para o transporte público em Berlim:

Não custa lembrar, vale pra Berlim e pra qualquer lugar do mundo…

– Quando as portas se abrem, espere todas as pessoas descerem para depois embarcar.

– Volume: não há nada de errado em conversar durante a viagem, mas evite falar muito alto.

– Nada de ouvir músicas ou conversar no celular no alto-falante.

– Evite transportar bicicletas na hora do rush (7h30 – 9h) (17h30 – 19h30).

– Ao transportar bicicletas, crianças pequenas, carrinhos de bebê ou cães, não esqueça da devida passagem. Caso haja controle e você estiver sem passagem, há uma multa de 40 Euros.

– Dê lugar para idosos, gestantes ou pessoas com necessidades especiais.

– Quando o trem está cheio, evite se posicionar perto das portas para evitar aglomerações. Há sempre mais espaço no meio do vagão.

 

Esse post foi elaborado por sugestão do Gus. Quem tiver outras sugestões pode entrar em contato com a gente. Adoramos trocar ideias: contato@deberlim.com

Kurztrip: Bad Schandau – Sächsischen Schweiz

O bom da Alemanha é poder trocar de cenário sem ter que viajar muito longe. Um final de semana já é tempo suficiente para uma pequena trip. Dessa vez, fomos à Suíça da Saxônia, em alemão, Sächsischen Schweiz, perto de Dresden, na fronteira com a República Tcheca.

Ficamos em Bad Schandau, à beira do Rio Elba, no Hotel Ostrauer Scheibe. A região montanhosa  possui diversos hotelzinhos confortáveis, um complexo de águas termais e florestas onde as pessoas se reúnem para fazer caminhadas (Wandern). Bom para descansar, comer bem, respirar ar puro e esquecer da cidade, porque o sinal do telefone e da internet é bem ruim. Se você está atrás de baladas, melhor ficar em Dresden.

A grande atração do lugar é o Personenaufzug (Elevador de pessoas, simplesmente) que dá acesso ao panorama de Ostrauer Scheibe. Lá em cima há um quiosque com mesinhas. Com o frio já deu pra tomar um quentão.

20141122_125802

Atravessamos a fronteira e fomos no primeiro vilarejo da República Tcheca, Hrensko. Pra comer, o clássico da cozinha do leste, muita carne com batatas.  Mas tudo muito gostoso e muito mais barato do que na Alemanha.

Hrensko, na República Tcheca. Ponto alto: confort food com preços apetitosos
Hrensko, na República Tcheca. Ponto alto: comfort food com preços apetitosos

Voltamos de trem num antigo Eurocity que vem de Bratislava, passando por Praga em direção a Ostsee. Foi bem legal porque o trem era daqueles modelos mais antigos com cabines. As cadeiras são retrateis e é possível dormir confortavelmente. Até Dresden, o trem vai paralelo ao Elba e tem uma vista linda. Mesmo com temperaturas baixas (Entre OoC a 3oC, o sol apareceu e garantiu o alto astral do passeio).

20141123_122110

O Elba no caminho do trem
O Elba no caminho do trem

 

Foi um bom final de semana. Bom pra descansar, dormir bastante e curtir um frio ainda ameno num clima serrano. Porque a partir de agora a temperatura só vai cair.

Berlim no cinema: 5 filmes que você tem que ver

Berlim é palco de vários filmes incríveis que acabam promovendo a cidade pelo mundo. Os filmes servem de inspiração para quem está arrumando as malas e para matar as saudades daqueles que foram embora. Listamos aqui os nossos preferidos. Deixe a sua dica nos comentários!

1 – Corra, Lola, Corra (1998)

Franka Potente em Corra Lola Corra
Franka Potente em Corra Lola Corra

A heroína moderna Lola (Franka Potente) literalmente corre pela cidade para resolver os pepinos do namorado Manni (Moritz Bleibtreu). Com uma trilha sonora eletrizante e um enredo surpreendente, Lola vai revelando o retrato na nova Berlim pós Guerra Fria enquanto corre pela cidade. É bacana sair a passear e reconhecer os lugares por onde ela passou, como a ponte de Warschauer Str., o Hotel de Rome nos arredores da Unter den Linden, a estação de U-Bahn Friedrichstr.

Corra Lola Corra é incrível pois é uma grande surpresa – exatamente a sensação que se tem ao chegar em Berlim pela primeira vez, quando não se sabe bem o que esperar. O resultado geralmente é apaixonante. Me arrisco a dizer que a Lola é a versão berlinense da Amelie Poulain.

2 – Der Himmel Über Berlin (Asas do Desejo) – (1987)

Bruno Ganz, um anjo.
Bruno Ganz, um anjo.

O clássico de Wim Wenders nos dá de presente a história dos anjos – eles estão entre nós, acompanhando nossas dores, alegrias e compartilhando nossos pensamentos randômicos do dia a dia. Mas alguns deles querem mais e ousam abdicar das suas obrigações divinas para se tornar simples humanos e ter o privilégio de ver o mundo em cores, sentir o gosto, o toque e poder amar.

O filme, que tem o querido Bruno Ganz como protagonista,  e principalmente a incrível leitura de Wenders sobre a presença dos anjos são referência para diversos outros longas, incluindo Cidade dos Anjos (1998), com Meg Ryan e Nicholas Cage.

3 – Berlin Calling (2008)

Paul Kalkbrenner, DJ e ator
Paul Kalkbrenner, DJ e ator

As noites de Berlim chamam quem está em busca de música eletrônica, festas intermináveis, pessoas excêntricas e histórias imprevisíveis.

Estrelado pelo DJ Paul Kalkbrenner, Berlim Calling é um retrato bem fiel do fascínio e das sombras da vida noturna. O glamour, as aparências e o status misturam-se com a solidão e o abuso das drogas. Reflexões a parte, o filme tem boas doses de comédia e vale pelo tour nas clássicas casas noturnas berlinenses, como o finado Bar 25, Maria am Ostbahnhof e Club der Visionäre. Difícil é  não querer sair direto pra dançar depois de ver o filme.

4 – Unknown (Desconhecido) – (2011)

Liam Neeson na busca sua identidade em Berlim
Liam Neeson na busca sua identidade em Berlim

Apesar dos seus 60 e poucos anos, Liam Neeson mostra-se cada vez mais presente en filmes de ação. O thriller psicológico Unknown faz parte dessa lista. Dr. Martin Harris chega em Berlim para uma conferência com sua esposa. Ao se dar conta de que esqueceu os documentos no aeroporto, ele pega um taxi mas sofre um acidente na ponte de Warschauer Str. Ao acordar, dias depois, ele não tem como provar quem é, sua esposa não o reconhece e a única pessoa que pode ajudá-lo é Gina, a taxista, interpretada pela alemã Diane Kruger. Assim começa uma grande perseguição e uma corrida contra o tempo para Harris provar quem ele é – tudo com acontecendo em diversos pontos de Berlim. Não espere nada profundo, mas o entretenimento é garantido.

5  – Männerherzen (Corações masculinos) – (2009)

Cuecas em busca do grande amor
Cuecas na busca pelo grande amor

Pra quem pensa que alemães não tem bom humor,  vale a pena assistir Männerherzen (Corações Masculinos ou Corações dos Homens) em que histórias amorosas de seis caras (cada um com seu estereótipo bem peculiar) se encontram. Berlim aparece com sua ruas ensolaradas como cenário dessa comédia pastelão.

 

Outros filmes legais:

Praia do Futuro
Adeus, Lênin
O que fazer em caso de incêndio
Edukators (Die fetten Jahren sind vorbei)
Supremacia Bourne
– Clipe do U2 – Stay, Faraway, so close!

O cheesecake da princesa

Para quem não dispensa um docinho para alegrar a vida, a melhor opção do café com bolo “Kaffee + Kuchen” que eu descobri nos últimos tempos é o Princess Cheesecake, uma confeitaria querida nos arrredores da S-Bahn Oranienburger Str, na Tucholskystr. 37, em Mitte.

Entrada da confeitaria
Entrada da confeitaria

O balcão com as opções de tortas é  de encher os olhos. E além dos doces serem lindos, são deliciosos.  A confeitaria é pequena e cozy, com uma decoração  muito bonita, com móveis clássicos em branco. A sensação é de se estar numa confeitaria em algum lugar do passado na França. As vendedoras usam um aventalzinho retrô e são bem atenciosas, quando se leva em consideração o atendimento de Berlim. Não é incomum passar por ali e ver as mesas cheias… de mulheres, afinal, todas as gurias têm o direito de serem as princesas daquelas delícias, nem que seja de vez em quando.

Balcão das tortas
Balcão das tortas

O melhor momento para ir lá é durante a semana. Durante os finais de semana, o lugar lota e algumas tortas terminam e nem sempre são repostas. Já aconteceu de eu chegar lá num sábado a tarde e, além de não conseguir lugar para sentar, não encontrar minha torta de chocolate imaculada, a Chocoloco, que tem base de biscoito de chocolate e é preenchida por ganache de chocolate meio amargo e branco.

Must eat: Chocoloco
Must eat: Chocoloco

É possível fazer o pedido para levar (que é embrulhado em um papel manteiga rosa bem liiiindo) e comprar uma torta inteira, que sai em torno de 40 Euros. A fatia sai por aproximadamente 4 Euros. Os preços não são muito baratos, paga-se pelo conjunto: um ambiente bonito e agradável e uma experiência gastronômica deliciosa.

O quê: Confeitaria Princess Cheesecake
Onde: Tucholskystr. 37 10117Berlin – Mitte
Quando ir: Dias de semana, de tarde
Com quem: Com a mãe, amigas, ou um livro
Preço: $$$